Fórum participa do Dia Internacional de Luta da Mulher

17 de março de 2017
Por

O dia 08 de março marca no mundo inteiro a luta das mulheres trabalhadoras por seus direitos, e a luta contra a violência contra a mulher.

De acordo com as estatísticas, o  Brasil ocupa o o 5º lugar no ranking de violência contra a mulher. Os dados do Mapa da Violência de 2015 apontam que dos 4.762 assassinatos de mulheres registrados em 2013 no Brasil, 50,3% foram cometidos por familiares, sendo que em 33,2% destes casos, o crime foi praticado pelo parceiro ou ex. Essas quase 5 mil mortes representam 13 homicídios femininos diários em 2013. Embora muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), ainda assim, hoje, contabilizamos 4,8 assassinatos a cada 100 mil mulheres. Além disso, de acordo com a mesma pesquisa o homicídio de mulheres negras aumentou 54% em 10 anos, e usando dados do Ministério da Saúde, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) analisou os registros de violência sexual e concluiu que 89% das vítimas são do sexo feminino e em geral têm baixa escolaridade. Do total, 70% são crianças e adolescentes. Em metade das ocorrências envolvendo crianças, há um histórico de estupros anteriores. 70% dos estupros são cometidos por parentes, namorados ou amigos/conhecidos da vítima.

Ou seja, em um mundo no qual o sufrágio feminino foi conquistado após muitos anos de luta, e ainda assim, no qual apenas em 2011 esse direito foi conquistado em lugares como a Arábia Saudita, as mulheres ainda tem muito o que enfrentar. Por isso, a coordenadora jurídica do Fórum da Cidadania, Flávia Rios, participou de uma palestra sobre o dia e sobre a situação da mulher  na ETEC Aristóteles Ferreira, em Santos.

Além disso,  a Estação da Cidadania abrigou nesse dia histórico atividades que depois deram o contorno ao Ato do Dia Internacional das Mulheres em Santos, organizados por diversos coletivos feministas da região.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Eca na Escola

História